expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Bate Papo: Será que sou racista?

Perambulando pela internet vi uma postagem que me chamou atenção, dizia o seguinte:
“Não assumir suas raízes é uma forma de racismo”.
(comentário de uma menina fazendo alusão a seus cabelos cacheados)
Mas antes de comentar vamos ao significado de racismo segundo o dicionário Aurélio: 
"Sistema que afirma a superioridade de um grupo racial sobre os outros, preconizando, particularmente, a separação destes dentro de um país (segregação racial), ou mesmo visando o extermínio de uma minoria (racismo antissemita dos nazistas)."

Sempre sofri com meus cabelos super cacheados, bem volumosos e difíceis de deixa-los de um jeito que fizesse me sentir bonita, sem contar que passei toda minha infância tendo que acordar uma hora mais cedo que os demais coleguinhas para dar tempo da minha mãe me pentear e conseguir fazer o famoso rabo de cavalo. Oh Deus como eu sofria! Quando minha mãe finalmente conseguia chegar ao topo da minha cabeça, ao descer o pente, o cabelo já estava todo embaraçado novamente. Senhor, como invejava aquelas meninas dos cabelos lisos que estavam sempre prontas pra brilhar e que de quebra se davam muito bem com o vento da minha cidade. 

Logo quando tive oportunidade mudei meu visual, o primeiro ato foi o relaxamento dos cachos, só que na medida que o cabelo crescia, chegava uma hora em que aquela raiz do relaxamento chegava as pontas e conclusão: pontas espigadas e raiz toda enrolada. Passei anos tentando achar uma cabeleireira que soubesse de fato fazer um relaxamento descente, até decidir pelo alisamento. Confesso que nunca me arrependi ou me julguei, até... me deparar com a frase da internet citada acima.

Na mesma hora eu pensei com uma certa culpa: Sou racista então?
Entrando no perfil da dona da postagem, me deparei com um cabelo crespo volumoso cor de mel, lindo de morrer! Uma menina cheia de estilo, com atitude e parecendo ter muita personalidade, foi então que comecei a me imaginar com aquelas roupas, aquele cabelo, aquelas poses... nossa, tudo muito lindo! Ops, mas espera aí! Não, aquela não poderia ser eu! Apesar de tudo tão bonito aquele não era o meu estilo, e sim o estilo daquela menina, e nem me sentiria bem com o cabelo black power, volumoso e cheio de cachinhos. E agora me pergunto: Mudar algo em mim, que não me fazia sentir bem, é motivo de vergonha? Isso faz de mim uma pessoa racista? Ah não, definitivamente não! Vergonhoso sim seria ver alguém tentando se adequar a algo que não a faça se sentir bem ou bonita.
Racismo pra mim é classificar alguém como superior ou inferior pela cor de pele,pela forma do cabelo e não porque alguém quer mudar o visual, se fosse assim, tornar o cabelo negro em loiro, usar lentes cor de mel por não curtir a cor dos olhos castanhos escuros, fazer bronzeamento artificial pra mudar a cor da pele branca... também seria atos de racismo., não é mesmo? 
Será que sou racista só porque não gosto "EM MIM" e por isso não assumo meu cabelo cacheado e com volume?! Acredito que não! 
A pessoa se torna especial, estilosa e com atitude no momento que tem coragem suficiente pra fazer o que quiser com seu visual sem se importar com que os outros pensem, e sim com o que ela acha bom pra si mesmo, e isso independe de você assumir ou não suas "raízes". 
Nossa real "raíz" deveria ser o respeito pelo próximo independente do seu visual, da sua crença, da sua sexualidade, da "SUA" escolha (desde que não prejudique ao outro).

Não me sinto melhor nem pior por alisar meus cabelos, me sinto sim um ser humano na condição de poder escolher o que me faz sentir bem, o que me faz sentir feliz.
Texto: Suelen Miranda / Tati ViNog